ARQUIVO

BUSCA

Adeus, Padre Jesus!

Publicado sábado, 22 de junho de 2019

0 comentários


Era um dia ensolarado no início dos anos 90. Transitava pela cidade de Planalto, SP, quando avistei a reforma da Igreja Matriz. Parei o carro e fui observar, pois era um dos colaboradores das obras. A partir daí, iniciei uma grande amizade com o Padre Jesus Rosado Coelho. 
De batina cerzida, chinelo franciscano e mãos sujas de tinta vi que era um padre diferente. Um homem simples. Uma energia forte. De muita fé e prestativo. Famoso por suas bênçãos nas residências e nos longínquos lares rurais em qualquer hora do dia, noite e madrugada. Figura ímpar nas igrejas de Planalto e Zacarias.
Para mim e outros fiéis que o conheceram bem, Padre Jesus era, desculpe a palavra, um paranormal. Tive experiências próprias, mas, deixa pra lá...
Em início dos anos 2000, foi injustiçado e forçado a voltar ao seu “ninho” de origem, a cidade de Teresina no Piauí. Mas, deixa pra lá...
Foi morar com suas duas irmãs idosas, onde desenvolveu um trabalho social com centenas crianças carentes em uma creche. 
Como de praxe, todo sábado pela manhã, celebrava missas em um dos cemitérios daquela capital em prol das almas, dos doentes e amigos.
Asmático e com sérios problemas de erisipela, sua saúde sempre foi debilitada. Quando as doenças manifestavam de forma severa, era internado e tratado com remédios fortes. Grande guerreiro, nunca reclamou da saúde: voltava com mais garra em seu campo de batalha.
Na última quarta feira, dia 19, aos 82 anos de idade, o Pai o chamou para uma missão no céu. E lá se foi nosso grande mentor espiritual. 
A partir de agora, receberemos do alto suas bênçãos como recebíamos a distância.
Para quem tem fé, não existe distância ou presença física. Prova disto são os milagres atribuídos aos santos e beatos.
Padre Jesus, você se foi fisicamente deste mundo, mas para nós que o conhecemos e recebemos as bênçãos de suas próprias mãos, você permanecerá vivo para sempre.

Toninho Cury
Fotojornalista

Foto de Toninho Cury
Planalto, 04 de Outubro de 1994

 
 
 
Comentários - 0

Ninguém comentou ainda, seja o primeiro!