ARQUIVO

BUSCA

Raízes de um Povo, mais uma história da Praça Cívica

Publicado sábado, 30 de março de 2019

0 comentários


A pedidos, volto a publicar neste espaço, a foto (slide) da escultura do artista amazonense, Myro Entrhal, na extinta “Praça Cívica” de São José do Rio Preto, SP, datada dos anos 80, durante um passeio ciclístico.

A história que deu tudo errado é a seguinte:

Ao assumir a prefeitura de Rio Preto, no período de 10/12/1982 a 31/01/1983, o então vice prefeito de Adail Vetorazzo, o economista Roberto Lopes de Souza, “esvaziou o caixa” da prefeitura ao iniciar o “Parque da Represa”. Saliento, que em apenas um mês de governo, Roberto Lopes, deu início à obra que hoje é o nosso “cartão postal”. Não deixou dívidas na prefeitura, mas gastou todo dinheiro em obras relevantes.
Pois bem, nesse ritmo, Roberto, resolveu dar um “tapa de maquiagem” na “Praça Cívica” através de um esboço apresentado pelo artista amazonense, Myro Entrhal, sobre os primeiros habitantes de Rio Preto. No papel, uma obra de arte de alto nível e de grande valor histórico à população.
Proposta apresentada, proposta aprovada e mãos às obras.
Assim, com um “ok” de Roberto Lopes, Myro iniciou a empreitada, cercando o local com tapumes de madeira, se enclausurando dias e mais dias por lá em cima de sua arte. Usou folhas de jornais para levanta-la. Nunca deixou ninguém fotografar e ver seu trabalho durante a execução. Dizia, “será uma surpresa para Rio Preto”.
Deu tudo errado.
No dia de sua inauguração, um espanto. Para muitos, uma aberração. Nada igual ao esboço apresentado. Daí, críticas e mais críticas. Toda semana a obra era atacada pela imprensa e por vândalos. Como ninguém a defendia, as autoridades resolveram deixar pra lá. Aos poucos foi se acabando. Myro não aceitou tal desprezo. Com recursos próprios, tornou-se guardião de sua cria. Toda semana, tava ele aos pés do monumento retocando-o. 
O “calvário” durou três anos. No ano de 1996, na gestão do Professor Manoel Antunes, a obra foi demolida. Neste mesmo dia ao receber a notícia da destruição, Myro Entrhal teve um infarto fulminante.
Essa “Praça Cívica” tem muitas histórias... agora, foi demolida para construção do “Central Parque”.
OBS: Na foto, o primeiro personagem da obra da esquerda para direita, está sem um braço e a mulher, sem as mãos, destruídos por vândalos.
Foto de Toninho Cury
fotojornalista

Comentários - 0

Ninguém comentou ainda, seja o primeiro!